Baixo volume de chuvas resulta em baixa produção agrícola

(Notícias - Todas as Notícias) Alteração no regime de chuvas_+AMPD_revisado

Com o clima desfavorável, a estimativa de produção de milho na safrinha 2021, do Centro-Sul do Brasil, deverá ficar em mais de 20 milhões de toneladas abaixo do resultado do ano passado, e o plantio da soja sofre novamente atraso devido à falta de umidade no solo para semeadura. A causa dos prejuízos que a agricultura vem acumulando está na alteração do regime de chuvas provocada pelo desmatamento. A conclusão é do relatório da organização não governamental Planet Tracker, reconhecida pela avaliação de riscos financeiros relacionados ao meio ambiente.

Essa mudança no regime de chuva atrelada ao desmatamento foi objeto de estudo do Instituto de Ciências da Atmosfera e do Clima do Conselho Nacional de Pesquisas de Turim (CNR-Isac), na Itália, que, após avaliar dados climáticos dos últimos 10 anos em toda região da Amazônia, concluiu que a perda da vegetação gera redução de até 70% de precipitação anual de chuvas.

Além da estiagem, a baixa cobertura vegetal contribui para a intensificação das ondas de calor. Na primeira quinzena de setembro, que marca o início da semeadura da soja,  a temperatura ficou 5ºC acima da climatologia média para o período, na região Centro-Oeste e Matopiba (Maranhão, Tocantins, Piauí e Bahia), uma das áreas de concentração da produção de grãos.  O evento é um sinal de que o ciclo hidrológico, que inclui a transferência de água do solo para atmosfera por evaporação, tem problemas que impactam diretamente no regime de chuvas.
Na conclusão do seu relatório, a Planet Tracker diz que o desmatamento é um ato de automutilação da economia brasileira, e que a conversão de áreas nativas em áreas produtivas encurta a estação das chuvas e reduz as precipitações. Aponta ainda que, além de alterar os padrões de chuvas e temperatura, tende a torná-las menos previsíveis e mais extremas. Por fim, recomenda que o Brasil se concentre na restauração de seu capital natural, do contrário, os investidores estarão expostos a (mais) riscos.

Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Receba nossa Newsletters